Biotecnologia: o que é e onde pode ser aplicada?

A biotecnologia constitui-se na tecnologia que faz uso de organismos vivos, ou parte deles, para desenvolver ou aprimorar diferentes tipos de produtos. Essa tecnologia, que é embasada na biologia, não é algo atual. Na realidade, existem registro babilônicos que já mostram o uso dessas técnicas de manipulação de organismos vivos. Tais registros datam de 4.500 a.C e a aplicação dela era, principalmente, para a produção da cerveja e de pães.

Mas a biotecnologia possui um amplo campo de utilização. E hoje aqui nós os apresentaremos e também explicaremos mais sobre essa tecnologia.Também, falaremos aqui sobre a evolução da biotecnologia para o que hoje conhecemos como “biotecnologia moderna”.

 

Entendendo o que é a biotecnologia

Biotecnologia é um termo de origem grega, onde “bio” significa “vida,“tecnos” significa “técnica” e “logos” tem o significado de “conhecimento”. Essa tecnologia, que é uma área da biologia, tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento do planeta e dos seres inseridos nele. E os processos que a compõem podem tanto usar os organismos vivos em sua forma natural como também fazer a modificação da sua composição genética ou desenvolver novos organismos vivos.

 

A biotecnologia pode ser classificada entre “biotecnologia clássica” e “moderna.

A biotecnologia clássica é aquela onde faz-se o uso de microrganismos vivos para a produção de produtos alimentícios como pães, vinhos, cerveja e queijos.

Enquanto isso, a biotecnologia moderna é aquela na qual, por meio dos avanços tanto no seu campo quanto em outros como a genética, biologia molecular e microbiologia, cientistas agora conseguem realizar uma intervenção no DNA das bactérias e fungos, fazendo uma espécie de codificação para que eles aprendam a produzir determinadas enzimas, por exemplo. Para que fique mais fácil de entender os dois tipos, usaremos como ilustração a produção do queijo.

 

Processo de fabricação do queijo e o uso da biotecnologia moderna

O processo da fabricação do queijo exige a etapa onde é adicionado o coalho para a coagulação. Esse coalho trata-se de uma enzima chamada de “quimosina” que faz o corte de parte das pontas da proteína do leite.

Nesse processo, esse corte ajuda as proteínas a formarem a coagulação (conglomerados), um coágulo firme, ajudando a concentrar a proteína do leite. Assim, eles podem ser separados do soro do leite. O processo, normalmente, utiliza as enzimas que são extraídas do estômago de bezerros que ainda estejam sendo amamentados, devido a que eles possuem maior quantidade de quimosina, sendo o mais ideal para a fabricação de queijos.

No entanto, a quantidade obtida dessa enzima é menor do que o necessário. Logo, a solução encontrada foi produzir essa enzima em laboratório.

Por meio da engenharia genética, cientista conseguiram fazer com que as bactérias e os fungos produzissem a quimosina, enzima encontrada no estômago do bezerro ou vitelo. O que eles fizeram foi pegar o DNA desses animais e o inserirem nessas bactérias, assim eles conseguiram codificar a quimosina.

 

Conheça as aplicações da biotecnologia

Desde os métodos tradicionais até os mais modernos, a biotecnologia pode ser aplicada nas mais diferentes áreas. Uma vez que ela compreende variados procedimentos com o uso natural o modificado dos organismos vivos.

Nisso, essa área da biologia pode ser implementada para processos simples como o cultivo de plantas, até processos mais complexos como a formação de orbitais eletrônicos híbridos (hibridização).

Um dos exemplos mais conhecidos do uso da biotecnologia é no desenvolvimento de organismos geneticamente modificados (OGM), os quais tiveram seu código genético alterado. Tais organismos recebem o nome de transgênicos. E o objetivo com a criação deles é obter organismos livre de defeitos.

Considerado o pai da agricultura moderna, o agrônomo Norman Borlaug (vencedor do Nobel da Paz) desenvolveu, na década de 50, um trigo modificado (transgênico) por meio de cruzamentos genéticos que possuía maior produtividade e era muito mais resistente que os demais.

 

A biotecnologia ainda pode desenvolver produtos e atuar em processos nas seguintes áreas:

Na indústria farmacêutica: para a criação de vacinas, medicamentos, etc;

No ambiente: na biodegradação de materiais, no tratamento de resíduos e compostagens, na depuração de águas residuais, etc;

Na saúde humana: diagnóstico de doenças, tratamentos e no processo de doação e transplante de órgãos;

Em animais: para produção de vacinas e drogas, fertilização in vitro de embriões, etc;

Na agricultura: tornando ou desenvolvendo plantas resistentes a insetos, herbicidas e a vírus, ajudando no controle de pragas.

 

Temos ainda a classificação da biotecnologia de acordo com sua aplicação: a biotecnologia verde, com uso em processos agrícolas, a biotecnologia vermelha (ou biotecnologia sanitária), implementada em processos médicos para a obtenção de medicamentos e procedimentos como regeneração de tecidos humanos, e a biotecnologia branca voltada para processos indústrias.

Como pôde ser visto, a biotecnologia está inserida em diversas áreas e faz-se presente no dia a dia de todos, seja direta ou indiretamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *